Buscando a notícia para você desde 2007 - Região dos Lagos - Ano 2017 -

Futebol - Formula 1 - Coluna do Esporte com Wagner Augusto



BOTAFOGO E ATLÉTICO/GO. ZERO LÁ, ZERO CÁ... 

O Botafogo continua invicto no Brasileiro da Série B, mas não conseguiu jogar o suficiente neste sábado (23/05) para derrotar o Atlético-GO, deixando o estádio Mané Garrincha frustrado com o empate de 0 x 0, um resultado ruim para o Alvinegro, que é time de massa e precisa voltar à elite, e de bom tamanho para o Dragão, que só foi destemido no nome. O time do Rio começou mais ousado, e Lulinha teve boa chance aos 15 minutos - chutou cruzado e a zaga afastou - mas andou relaxando, cedendo espaço ao adversário, que passou a rondar a área alvinegra, embora só tenha criado uma grande oportunidade, aos 26, quando Arthur, livre de marcação, bateu forte para ótima defesa de Jefferson. Aos 43, o mesmo Arthur marcou de cabeça, completando falta cobrada por Sérgio Manoel. A arbitragem, porém, anulou o gol, pois o atacante estava em posição irregular. Não seria exagero afirmar que o Botafogo fez um primeiro tempo muito ruim. Na volta para o segundo tempo, Renê Simões trocou Daniel Carvalho, em dia ruim, por Diego Jardel, visando dar maior movimentação ao time. O jogo recomeçou equilibrado, com os times buscando o gol. Esbarravam, porém em suas limitações, daí as poucas emoções. Aos 16, Elvis concluiu no canto esquerdo, para bela defesa de Márcio, e aos 17, Arthur driblou Jefferson e bateu fora. Aos 20, Camacho, machucado, e Elvis, foram substituídos respectivamente por Airton e Tomas. O Botafogo tinha maior posse de bola, mas mostrava dificuldade para chegar à área do Atlético, e este tentava sair em velocidade, se atrapalhando, no entanto no passe final. Aos 29, Tomas mandou um balaço, e o goleiro jogou para escanteio. Visivelmente cansado, e convencido de que o 0 x 0 era um bom resultado, o Dragão passou a recuar instintivamente, e o Alvinegro até tentou forçar a barra, mas não teve capacidade para dobrar o adversário, sob as vaias da galera. 


Foto: Carlos Costa



FLU E TIMÃO FICAM NO 0 X 0 


Ótimas defesas de Cássio e um gol perdido por Guerrero, sem goleiro, decretaram o empate sem gols entre Fluminense x Corinthians neste domingo (24/05), no Maracanã, pela terceira rodada do Brasileirão. Com o terceiro técnico no campeonato, após saídas de Cristovão Borges e Ricardo Drubscky, o Flu começou a se remontar com Enderson Moreira, de volta após quatro anos. Com menos de um minuto, o time ofensivo, dos jovens e bons Vinicius e Gerson, mostrou sua cara. Giovanni cruzou, Fábio Santos e Ralf bateram cabeça e Gerson chutou para a primeira boa defesa de Cássio. A outra boa chance só veio aos 41 minutos. Jean chegou sozinho pelo meio e arriscou de longe. O goleiro corintiano espalmou e, no rebote, Vinicius carimbou a trave. O Timão, que teve Tite de volta no início do ano, a cada jogo também tenta se reconstruir. Neste domingo (24/05), a equipe fez seu 33º jogo na temporada e ainda sofre para voltar a fazer bons jogos como nos primeiros meses. Elias, que não estava 100% fisicamente, deu lugar a Bruno Henrique. O 4-1-4-1 que encantou foi trocado pelo 4-2-3-1. Mas Mendoza e Jadson não ajudaram para o esquema dar certo. No segundo tempo, os cariocas começaram melhores, de novo. Outro bom chute de Gerson, outra bela defesa de Cássio. No rebote, Fred, impedido, tentou e o Paredão do Corinthians não deixou passar nem vento. Já era o maior responsável pelo placar, até que um lance chamou a atenção. Em uma saída de jogo, Gum perdeu a bola para Petros, que entrou na área, viu Diego Cavalieri sair e tocou para Guerrero, sem goleiro, só fazer e se consagrar. Seria o 55º gol do peruano, que empataria com Dentinho como o maior artilheiro do Corinthians no século 21. O resultado final foi um chute torto e inacreditável, emblemático para a possível saída do jogador, que não terá o contrato renovado após 15 de julho. A jogada fez a equipe paulista crescer e começar a tocar mais a bola. Jadson, embora mal no jogo, deu ótimo passe para Petros e depois soltou uma chutaço de fora da área, que Cavalieri espalmou para escanteio. Foi o último lance que fez os quase 15 mil espectadores no Maracanã saírem da cadeira. O 0 x 0 deixa claro que Enderson Moreira e Tite ainda têm muito a fazer por suas equipes. Mesmo que em estágios diferentes. 


Foto: Cleber Mendes




JOGANDO EM CASA VASCO EMPATA COM INTER 


A permanência do técnico Doriva mostra que ele junto com o Vasco querem fazer um trabalho a longo prazo. Entretanto, o treinador precisa de um algo mais para fazer com que a equipe reencontre as boas atuações. Com extrema urgência! O time, mesmo com suas limitações, evidencia a todo o instante para o torcedor que não desiste. Mas, não é só jogando muito que se vence um jogo. A estratégia, inteligência é muito importante para a conquista os objetivos. O banco é importante demais para uma equipe que pretende brigar pela ponta de cima do campeonato. Mas parece que a falta tranquilidade para fazer dentro de campo, o que é treinado todos os dias. A pressão de dentro, vinda da alta cúpula, também pode ser importante para este desequilíbrio. O Vasco foi melhor que o Inter, mas jogando em casa, tinha que detonar, ainda mais diante de um time misto. Não podem perder gols claros como os de Madson e Julio dos Santos, ainda na primeira etapa. É preciso melhorar e muito. O ideal seria ter o empurrão da torcida também. As vaias jogam contra a equipe, mas falar isso para o torcedor neste momento é muito difícil. Por isso, Doriva precisa mexer de novo para fazer com que as coisas voltem a funcionar como antes. Porém o técnico também precisa do apoio da diretoria para ter peças importantes para a disputa da temporada. Não adianta o Eurico chegar na coletiva e dizer que o Vasco briga pelo título que as coisas irão acontecer. É melhor ser realista e trabalhar para que as coisas melhorem. 

Foto: internet




COM GOL IRREGULAR FLAMENGO JOGA MAL, PERDE PARA AVAÍ, E SEGUE SEM VENCER 


O futebol ruim, e principalmente conformado, e uma falha absolutamente grosseira do juiz Raphael Claus, que não viu a bola sair antes do segundo gol do Avaí, levaram o Flamengo à derrota por 2 x 1, neste domingo (24/05), na Ressacada, em Florianópolis, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro. E se o Leão não jogou tão bem, o Rubro-Negro foi, na prática, sobretudo uma equipe sem padrão de jogo definido, desorganizado do goleiro aos atacantes. Com o resultado, o Flamengo se mantém sem vitória no Brasileiro, e começa a sua já famosa briga contra o rebaixamento, embora o campeonato caminhe apenas para a sua quarta rodada. A estréia de Armero, aliás, foi o reflexo da atuação carioca. Uma finalização de Alecsandro para fora, logo aos cinco minutos, foi o que ocorreu digno de nota no primeiro tempo, pois se o time catarinense não conseguia superar a marcação do Flamengo, este também se mostrou uma nulidade no aspecto ofensivo. Daí o 0 x 0. No intervalo, Vanderlei Luxemburgo trocou Éverton, que estava com cartão, e não produzia nada de bom, por Paulinho. Mas mal começou a etapa final e Hugo pegou uma sobra da zaga para abrir o marcador. Certo de que tinha o jogo nas mãos, o Avaí se deixou surpreender aos seis minutos, quando Gabriel aproveitou rebote de Vágner, após conclusão de Cáceres, para empatar. O Flamengo, no entanto, continuou bagunçado, e Hugo voltou a marcar, graças ao tal equívoco da arbitragem, que não viu a bola sair pela linha de fundo, no cruzamento de Anderson Lopes, antes da conclusão. Apesar da desvantagem, e da situação péssima na tabela, a equipe carioca não demonstrou reação, tanto que só criou chance aos 48 minutos, em chute de Paulinho, para defesa do goleiro. A impressão que ficou - se levarmos em conta o Avaí, um time fraco, como referência, é a de que o Flamengo não conseguirá nada de muito interessante no Brasileiro, se não contratar bons reforços. 


Foto: Internet





MERCEDES PREJUDICA HAMILTON, E DÁ VITÓRIA À NICO NO PRINCIPADO DE MÔNACO 




O GP de Mônaco estava nas mãos de Lewis Hamilton. De forma tranquila, o inglês liderava com folga, bem à frente do rival de Mercedes, Nico Rosberg. Mas as ruas de Monte-Carlo sempre reservam surpresas aos amantes da Fórmula 1. Após safety car ir à pista, devido a acidente de Max Verstappen, Lewis foi aos boxes em uma estratégia confusa da equipe, perdeu a vitória para Rosberg, e a segunda posição para Sebastian Vettel. Ele fechou o pódio em terceiro lugar. Ao fim da prova, o clima no pódio era pra lá de constrangedor. O inglês sequer ficou para o estouro da garrafa de champagne e teve que ouvir do engenheiro de equipe um pedido de desculpas pelo erro cometido. Com o resultado, Rosberg colocou fogo na briga pelo Mundial e reduziu para 10 pontos a diferença para o rival (126 contra 116). Fora da briga pelo pódio, Daniil Kvyat, da RBR, fechou na quarta posição, seguido por Kimi Raikkonen, da Ferrari. O finlandês chegou a perder a quinta posição, após toque de Daniel Ricciardo, da RBR, mas o australiano teve ciência do erro de manobra cometido e cedeu o quinto posto, fechando em sexto lugar. Fora a mudança inesperada no pelotão da frente, quem também chamou atenção foi Felipe Nasr. O brasileiro, que largou em 14º e sofreu com o rendimento da sua Sauber em todo final de semana, mostrou segurança e fez uma prova de recuperação. Beneficiado por erros adversários, ele fechou a prova em nono lugar, atrás de Jenson Button, que fez os primeiros pontos da McLaren. Se Nasr foi um destaque positivo, Felipe Massa foi o negativo. Logo no início da prova, ainda na primeira curva, o brasileiro se envolveu em acidente e teve que ir aos boxes para trocar o bico da sua Williams. Com a parada, ele retornou na última colocação e conseguiu ultrapassagem apenas sobre os carros da Manor, terminando a prova em 15º. Seu rival de equipe, Valtteri Bottas, também foi mal e fechou em 14º. Os pilotos retornam às pistas daqui a duas semanas, no próximo dia 07, no GP do Canadá, onde será realizada a sétima etapa do calendário 2015 da Fórmula 1. Até o momento, foram disputadas as etapas na Austrália, Malásia, China, Bahrein, Espanha e Mônaco. 

Fonte: Lance 
Foto: Andrej Isakovic



Até a próxima galera do esporte

Wagner Augusto

Morre Zé do Rádio - Torcedor simbolo do Sport - Esporte com Wagner Augusto



Faleceu Ontem, quinta-feira, 21 de maio - Ivaldo Firmino dos Santos, popularmente Conhecido como Zé do Rádio, torcedor-Símbolo do clube, e conhecido em TODO Brasil Pela alcunha folclórica de "torcedor Mais chato do Brasil". 

O Motivo foi Uma parada cardiorrespiratoria, de a Acordo com nota divulgada Pela Assessoria de Imprensa do Real Hospital Português. 
Zé do Rádio deu entrada na madrugada Desta quinta-feira (21/05), cardiorrespiratoria em Parada. Foi reanimado e internado na Unidade de Recuperação Cardiotorácica (URCT). 

"cardiorrespiratoria Parada Fez nova, NÃO respondendo Às Manobras habituais, Sendo o óbito Confirmado Às 10h30," Dizia uma nota. ELE era transplantado cardíaco há 13 anos, portador de diabetes, hipertenso e cronico renal. Zé Passou cinco meses na fila de espera Por Um transplante de coração, com o Procedimento Sendo Realizado em 2002. Desde ENTÃO, Tornou-se hum dos MAIORES incentivadores e garoto propaganda da Doação de Órgãos em Pernambuco. Seu falecimento foi Profundamente lamentado Pela Central de Transplantes de Pernambuco (CT-PE). Segundo a coordenadora da CT-PE, Noemy Gomes, Zé do Rádio sempre visitava o Órgão e cativava a todos com um SUA simpatia. 

"Ele sempre estava Presente NAS Nossas Campanhas, em eventos A, parágrafo Prestar Seu depoimento. Zé foi hum Parceiro Importante na Nossa Luta Pela Doação de Órgãos, POR Mostrar a seriedade do Trabalho e that uma Doação Funciona, Que Traz Um Novo sopro de vida Pará Quem Precisa de hum Órgão. O Nosso Desejo E deixar o Nosso Conforto e abraço parágrafo SEUS Entes Queridos ", Disse Noemy. 

O título de torcedor Mais chato do Brasil foi dado cabelo ex-Treinador Zagallo, em 2001, na Época comandante da Portuguesa, em hum programda de TV. 

Zé do Rádio sempre ficava Atrás do banco do técnico adversario com Seu Rádio Ligado em volume de alto, atazanando a vida dos comandantes e Jocks. He começou a frequentar a Ilha do Retiro na DÉCADA DE 1970. Famoso between OS rubro-negros e querido Até Pelas Torcidas rivais, o torcedor recebeu algumas Homenagens em vida. A Mais significativa foi a Criação de hum boneco gigante AOS SEUS moldes, that desfila há ano nsa Carnavais de Recife e Olinda. 


NOSSOS Sentimentos A Família e Toda a torcida do Desporto, É O Que deseja Toda a Equipe do Jornal O Resumo

Até a Próxima

Wagner Augusto 


Fonte e foto: Jc on-line





Jiu-Jitsu - Esporte com Wagner Augusto de Lima

Com os títulos de bi-campeão Brasileiro, campeão Sul Americano, campeão Pan Americano e campeão Estadual RJ de Jiu-Jitsu, o atleta buziano Tácio Carneiro, de apenas 17 anos, vai agora em busca do único título que ainda lhe falta, o de campeão Mundial de Jiu-Jitsu.


Faixa Azul na categoria Pesado, Tácio que treina com o mestre Igor Rodrigues, o Baixinho, afirma que está em seu melhor momento, e que vai partir com tudo em busca do ouro nos Estados Unidos, no Mundial de Jiu-Jitsu que acontece em Long Beach, na Califórnia, de 27 a 31 de maio.


“Tenho treinado seis dias por semana, duas vezes ao dia. Estou totalmente focado na tarefa de vencer este mundial e vou com tudo mesmo, acreditando de verdade. Há 11 anos foi o meu mestre Baixinho quem foi lá e venceu, agora é a minha vez de tentar e me sinto muito bem fisicamente”, diz o atleta.

Nascido e criado no bairro da Rasa, em Búzios, Tácio une a natureza exuberante da cidade aos treinos. Correndo e fazendo muita trilha pelas praias e morros buzianos, o atleta se diz tão entusiasmado, que também pretende participar da próxima corrida do X-Terra que acontece na cidade.

“Agradeço muito aos moradores de Búzios que me incentivam bastante e acompanham a minha carreira desde os sete anos de idade. Isso é ótimo, me ajuda muito a manter o foco na dedicação. Agradeço à Prefeitura de Búzios todo o apoio moral e na ajuda de custo para viajar, agradeço o reconhecimento e carinho do prefeito e toda equipe”.

Com 81kg, Tácio luta na categoria Pesado e na Absoluto, que mistura atletas de várias categorias, sem distinção. Que vença o melhor!



Atá a próxima

Wagner Augusto de Lima 



Fonte : Folha de Búzios

Foto   : Ronald Pantoja.Na foto, prefeito André Granado, atleta Tácio Carneiro, o pai do atleta, Marcos e o incentivador Edson Leiteiro






Futebol - Esporte com Wagner Augusto de Lima

DENÚNCIA! 

CBF “vendeu” a Seleção Brasileira a empresários. Pelos acordos, a lista de convocados precisa atender a critérios estabelecidos pelos parceiros comerciais e qualquer substituição precisa ser realizada em "mútuo acordo" entre CBF e empresários. O contrato deixa claro: o jogador que substituir um "titular" precisa ter o mesmo "valor de marketing" do substituído. As condições fazem parte de minutas de contratos secretos obtidos pela reportagem e que revelam, de forma inédita, como a CBF leiloou a seleção brasileira em troca de milhões de dólares em comissões a agentes, cartolas, testas de ferro e o envolvimento de empresas em paraísos fiscais, longe do controle da Receita Federal brasileira. Desde 2006, a CBF mantém um contrato com a companhia ISE para a realização dos amistosos da seleção. O acordo foi mantido em total sigilo por quase 10 anos. Documentos obtidos pela reportagem revelam agora que a ISE é uma empresa de fachada com sede nas Ilhas Cayman. Não tem escritório nem funcionários. É mera Caixa Postal, número 1111, na rua Harbour Drive, em Grand Cayman. A ISE é apenas uma subsidiária do grupo Dallah Al Baraka, um dos maiores conglomerados do Oriente Médio, com 38 mil funcionários pelo mundo. Em 2011, esse contrato de 2006 foi renovado por 10 anos pelo então presidente da CBF, Ricardo Teixeira, em um encontro em Doha, no dia 15 de novembro. Ele seria oficializado no dia 27 de dezembro daquele ano. Entre 2006 e 2012, a ISE sublicenciou a operação para a Kentaro, companhia que passou a programar cada partida da seleção com base no acordo. Em 2012, o contrato de operação passou para as mãos da Pitch International, depois de uma negociação com a ISE e a CBF, que continua em vigência. Nos primeiros acordos e emendas entre a CBF e a ISE, os termos não faziam qualquer menção às regras para a convocação de jogadores. Tudo mudaria em 2011. Os aspectos esportivos foram colocados em segundo plano. Trata-se, acima de tudo, de um esquema para explorar a marca da seleção em todos os seus limites, independentemente do resultado em campo ou do significado de uma partida para a preparação do time. CONVOCADOS Pelo acordo secreto ficou estipulado que a seleção deveria entrar em campo sempre com seus principais jogadores, sem qualquer possibilidade de testar jovens promessas ou usar amistosos para preparar o grupo olímpico. "A CBF garantirá e assegurará que os jogadores do Time A que estão jogando nas competições oficiais participarão em qualquer e toda partida", disse o artigo 9.1. Qualquer violação desse acordo significa pagamento menor de cota. "Se acaso os jogadores de qualquer partida não são os do Time A, a taxa de comparecimento prevista nesse acordo será reduzida em 50%", estipula o contrato. Por jogo, a CBF sai com US$ 1,05 milhão (R$ 3,14 milhões) se seguir o acordo. Caso um jogador seja cortado por contusão, por exemplo, a CBF precisa provar com um certificado médico aos empresários da ISE que o atleta não tem condições de jogar. "Qualquer alteração à lista será comunicada por escrito à ISE e confirmada por mútuo acordo. Nesse caso, a CBF fará o possível para substituir com novos jogadores de nível similar, com relação ao valor de marketing, habilidades técnicas, reputação". Para deixar claro o que significa "Time A", a ISE alerta que não aceitaria o que ocorreu em novembro de 2011 quando o Brasil foi ao Gabão e depois a Doha para enfrentar o Egito. Na época, o então treinador, Mano Menezes, não contou com Neymar, Paulo Henrique Ganso, Lucas, Marcelo, Kaká e Leandro Damião, nomes da lista original para os amistosos. No novo contrato (o que passou a valer em dezembro daquele ano e vai até 2022), a empresa deixou claro que tal situação passaria a ser punida com uma redução em 50% do cachê pago. Além disso, todos os direitos de transmissão, copyright ou qualquer outro aspecto ficam sob controle total da empresa de fachada registrada nas Ilhas Cayman. Em um dos artigos do contrato, fica ainda estipulado que, mesmo que o acordo for suspenso, os direitos de copyright são mantidos sem data para acabar. Qualquer violação significa que a CBF teria de pagar uma multa de US$ 1 milhão. O contrato ainda prevê que os períodos de preparação da seleção brasileira para as Copas de 2018 e 2022 também serão de exploração exclusiva da ISE. O acordo ainda termina com termo bem claro: confidencialidade. "Todos os termos e condições deste acordo serão tratados pelas partes como informações confidenciais e nenhuma das partes os divulgará". GUERRA Os documentos também revelam uma guerra interna na CBF pela fatia mais importante dos lucros. Quando Ricardo Teixeira assinou o novo acordo com a empresa de Cayman, ele já planejava sua saída da entidade, passando o controle para José Maria Marin e Marco Polo Del Nero. Mas o que se viu na transição de poder dentro da CBF foi um braço de ferro que seria vencido por Teixeira, mesmo já fora da entidade. E-mails confidenciais obtidos pela reportagem revelam que Marin e Del Nero, o atual presidente da CBF, estavam negociando um novo contrato com a Kentaro, que oferecia aos parceiros valores superiores aos que estavam sobre a mesa, deixados por Teixeira. Quem convenceu Marin e Del Nero a se lançar na ofensiva foi o Grupo Figer que, conforme mostram documentos, atuando apenas como intermediadora entre Kentaro e CBF, ficaria com US$ 132 milhões por permitir mais de 100 jogos da seleção entre 2012 e 2022 - valor superior ao que a CBF levaria com base no contrato da ISE. Todos os detalhes fazem parte de uma ação judicial. De acordo com o relato dos fatos, documentos e e-mails juntados no processo, a renegociação dos acordos para realização dos amistosos teria começado logo depois da renúncia de Teixeira, no dia 8 de março de 2012. Naquele momento, Juan Figer e seus filhos André e Marcel decidiram que o fim da "era Teixeira" poderia ser ocasião para passar a fazer parte dos intermediários que lucrariam com a seleção. O encarregado de falar com Del Nero foi Marcel Figer. Ainda de acordo com os fatos relatados no processo, encontros se proliferaram na residência de Marin, na rua Padre João Manuel, esquina com Alameda Franca, em um flat de Del Nero em São Paulo, em hotéis em Londres e Budapeste e até na Federação Paulista de Futebol (FPF). Depois de uma série de discussões, a Kentaro, o Grupo Figer, Marin e Del Nero fixaram encontro em Londres, em 25 de abril de 2012, no hotel Claridge. Em 2 de maio, e-mail enviado por Phillip Grothe, CEO da Kentaro, resumia o encontro e traçava as soluções e estratégias para o sucesso da empreitada. Para que pudessem montar uma proposta que derrubasse o acordo da ISE, um dos sócios do Grupo Figer, Marcel, pediu e obteve de Del Nero uma cópia traduzida do contrato sigiloso entre a entidade e os sauditas, justamente para servir de base para o novo contrato a ser fechado com a Kentaro. O documento foi mostrado por Del Nero a Marcel em um encontro na sede da FPF, no dia 3 de maio de 2012. No dia seguinte, Marcel e Juan Figer foram ao apartamento de Marin e conseguiram dele sinal verde para tocar o acordo. CONTRA-ATAQUE Mas Teixeira não estava disposto a ver a arquitetura que montara na CBF desabar. No dia 19 de maio de 2012, ele viajou até a Alemanha para um encontro com Marin e Del Nero. Ambos estavam em Munique para a final da Liga dos Campeões da Europa, vencida pelo Chelsea. Teixeira, para não ser visto pela imprensa, ficou em uma cidade mais afastada. Ainda assim, as negociações para mudar o parceiro da CBF teriam sido mantidas. No dia 21 de maio, o advogado do Grupo Figer, Alexandre Verri, elaborou a minuta do contrato entre Figer e Kentaro. Uma semana depois, uma versão final chegou aos interessados. Entre os itens do acordo estava a comissão de US$ 132 milhões que a Kentaro pagaria para o Grupo Figer. Mas a renovação pretendida pela Kentaro não vingou. Em 16 de agosto de 2012, um acordo da CBF foi anunciado com a empresa Pitch International, depois de intermediação de Teixeira com os sauditas da ISE. A empresa que jamais havia organizado um jogo de futebol sequer, passaria a operar as partidas da seleção como subcontratada da ISE. O esquema montado por Teixeira estava preservado. Mesmo fora da CBF, continuou mandando na seleção ao lado de seus parceiros comerciais. E isso tudo até 2022. 

Fonte: futebol interior 
Foto: internet



FLAMENGO EMPATA APÓS ESTAR PERDENDO POR 2X0 




O Flamengo deixou uma impressão ruim na reta final do Cariocão e na estréia no Campeonato Brasileiro, diante do São Paulo. Continuou neste domingo (17/05) no Maracanã. O time da Gávea ao menos mostrou disposição ao buscar o empate de 2 x 2 com o Sport, após estar perdendo por 2 x 0 e ouvir muitas vaias de sua torcida. A torcida, que fez o tradicional pedido de raça logo após o segundo gol do Sport, gritou também a plenos pulmões que “queremos jogador”, num recado direto à diretoria. Se os dirigentes entenderam, não se sabe, mas os jogadores resolveram jogar bola e buscaram a igualdade do placar no Maracanã, que evitou a segunda derrota no Brasileiro. 

Foto: Paulo Sérgio



COM MUITAS CHANCES PERDIDAS VASCO FICA NO EMPATE COM FIGUEIRENSE 




O Vasco segue sem vencer após conquistar do Campeonato Carioca. Ao contrário da estréia do Brasileirão contra o Goiás, o Cruz-Maltino até criou várias chances de gols, porém acabou ficando novamente no empate em 0 x 0, pela segunda rodada da competição, contra o Figueirense, neste domingo (17/05), no Orlando Scarpelli. Em partida muito movimentada, os vascaínos foram melhores no primeiro, já o Figueirense equilibrou na etapa final. Entretanto, as duas equipes erraram muito nas finalizações. Com o resultado, o Vasco conquistou o segundo ponto e ocupa a nona posição no Brasileiro. Já o Figueira tem um ponto e está no 19º lugar. O próximo jogo do Cruz-Maltino será contra o Cuiabá, na próxima quarta-feira (20/05), em São Januário, pela Copa do Brasil. Já o time catarinense volta a entrar em campo no sábado, contra o Grêmio, fora de casa, pelo Brasileirão. 


Foto: Eduardo Valente



ATLÉTICO-MG GOLEIA UM “IRRECONHECÍVEL” FLUMINENSE 




Foi o jogo de um time só. O placar de 4 x 1 para o Atlético-MG sobre o Fluminense, neste domingo (17/05), no Mané Garrincha, em Brasília, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro, acabou sendo pequenino, pois o time de Belo Horizonte jogou bem e marcou seus gols, enquanto o Tricolor assistia quase de camarote. A impressão é que o duelo na capital federal era entre representantes de divisões bem distintas, tal a diferença em todos os sentidos que se viu no gramado, principalmente na postura, tal a indiferença da equipe das Laranjeiras. O jogo deixou a impressão de que o Galo não sentiu a queda na Taça Libertadores e brigará pelo título nacional, e que o Tricolor fará o possível para evitar o pior, caso não contrate reforços. O Fluminense tem que abrir bem os olhos! 


Foto: internet




BOTAFOGO GOLEIA E SEGUE FIRME RUMO À PRIMEIRONA




O Botafogo goleou o CRB por 4 x 1, na noite deste sábado (16/05), no Estádio Nilton Santos (Engenhão), e conquistou a segunda vitória seguida, em dois jogos, na Segundona do Campeonato Brasileiro. O alvinegro venceu o primeiro tempo por 1 x 0, mas construiu um placar gigante na segunda etapa. Para o atacante Bill, o fato de a equipe ter deslanchado no segundo tempo ocorreu porque os jogadores voltaram mais concentrados. - Voltamos mais ligados no segundo tempo e conseguimos um placar elástico. Foi guerra, uma luta. Ainda bem que conseguimos sair com a vitória - disse o atacante alvinegro, que fez o primeiro gol da vitória do Glorioso e ainda teve outro gol mal anulado. 

Foto: Cleber Mendes


Rapidinha

Na tarde deste domingo, a equipe do Itaboraí visitou o Arraial do Cabo, pela segunda rodada do Campeonato Carioca da Série C, no estádio Barcelão. O placar encerrou-se em 2 a 0 para os visitantes.

Com o resultado, o time visitante ficou na terceira posição do Grupo B, somando agora três pontos, enquanto os donos da casa ficaram na sexta colocação do Grupo A, sem nenhum ponto.

Na próxima rodada o Itaboraí enfrentará o Juventus, domingo (24). Já o Arraial encara o Carapebus, no mesmo dia e horário.

Fonte : Danilo de Grado Site Futnet


Até a próxima na coluna de esporte

Wagner Augusto de Lima