Buscando a notícia para você desde 2007 - Região dos Lagos - Ano 2017 -

Dunga e toda a comissão técnica na rua. Tite é o novo técnico da seleção

Dunga foi demitido do comando da seleção brasileira nesta terça-feira (14) após a eliminação precoce na fase de grupos da Copa América Centenário, nos Estados Unidos. Gilmar Rinaldi, coordenador de seleções, também está fora.

Em decisão do presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Marco Polo Del Nero, o treinador que estava no comando desde o fim da Copa do Mundo de 2014 teve o contrato rescindido e já está fora, também, da Olimpíada do Rio, em agosto. Tite, do Corinthians, é o preferido da entidade para assumir o posto e chega ao Rio de Janeiro no início da noite. Ele deixou o CT Joaquim Grava, em São Paulo, por volta das 18h25.


Os dirigentes da CBF têm pressa para acertar com o comandante corintiano. Na noite desta terça-feira, Tite chegou ao Rio de Janeiro por meio de um jato particular e já está na Barra da Tijuca, zona oeste, sede da entidade, para negociar com Del Nero. Com conversas já iniciadas entre representantes dos dois lados e uma negociação avaliada como positiva, o anúncio pode ocorrer na sequência.

Antes mesmo da reunião com Dunga e Gilmar Rinaldi, na tarde desta terça-feira, na sede da CBF, o empresário de Tite, Gilmar Veloz, já mantinha diálogos com cartolas da federação. O "sim" definitivo" de Tite depende das condições de trabalho que lhe serão apresentadas. Embora difícil e após a própria família de Tite já declarar que ele agora está propenso a aceitar.



Dunga e Gilmar em treino do Brasil nos 
Estados Unidos


O anúncio da saída de Dunga foi feito através de uma nota oficial publicada no site da entidade na tarde dessa terça, cerca de 20 minutos após o encontro da dupla com o presidente, na sede da entidade. A nota da CBF fala em comum acordo na saída. Porém, tanto Dunga como Rinaldi foram demitidos e deixaram a CBF por decisão do presidente após o encontro que durou cerca de dez minutos.

"A Confederação Brasileira de Futebol comunica que decidiu, nesta terça-feira, dissolver a comissão técnica da Seleção Brasileira. Deixam os cargos o coordenador de Seleções, Gilmar Rinaldi, o técnico Dunga e toda a sua equipe. A decisão foi tomada em comum acordo durante reunião nesta tarde e, a partir de agora, a CBF inicia o processo de escolha da nova comissão técnica da Seleção Brasileira. A CBF agradece a dedicação, a seriedade e o empenho da equipe durante a realização do trabalho", diz a nota.



O técnico Tite, do Corinthians

A segunda passagem de Dunga pela seleção brasileira se encerra com duas campanhas ruins em diferentes edições de Copa América e classificação abaixo da esperada nas eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018. Com o treinador, a seleção caiu nas quartas de final da Copa América de 2015, no Chile, e agora foi eliminada na fase de grupos nos Estados Unidos - a pior campanha do Brasil na história do torneio desde 1924.

No total, a passagem se encerra com 18 vitórias, cinco empates e três derrotas em 26 jogos. Os números positivos, porém, ficam nos amistosos: logo quando assumiu, o técnico teve sequência de dez vitórias em dez amistosos. Em jogos oficiais, porém, Dunga só conseguiu vencer Venezuela (duas vezes), Peru (duas vezes) e, por último, o Haiti. O rendimento irregular rende ao Brasil a atual 6ª colocação nas eliminatórias para a Copa do Mundo.

Ainda, Dunga se marcou nesta segunda passagem pela cisão com jogadores antes tidos como protagonistas no elenco. O treinador tirou a braçadeira de capitão de Thiago Silva e, posteriormente, também barrou o zagueiro de convocações por ter reprovado a postura em entrevistas sobre a seleção brasileira. O lateral Marcelo, do Real Madrid, viveu situação semelhante e deixou de ser lembrado depois de discordâncias com a CBF em relação ao tempo de recuperação de uma lesão que, segundo o atleta, poderia impedi-lo de atuar em determinado período pela seleção. David Luiz, um dos ícones da Copa de 2014, perdeu espaço por critérios técnicos.

Mesmo com Dunga empregado, Tite e o argentino Jorge Sampaoli chegaram a ser consultados por representantes que agiram em nome da CBF sobre a possibilidade de assumir a seleção brasileira. A primeira consulta ao treinador do Corinthians aconteceu em 2015 e a segunda em março, há três meses. Sampaoli foi consultado no mesmo período deste ano.

Com a indefinição no comando, a CBF precisa estabelecer ainda se o novo técnico da seleção também comandará o Brasil na Rio-2016.

* Colaboraram: Dassler Marques e Diego Salgado - UOL Esporte